Posts

DCIM100GOPROG0028146Senepol, uma aliada do meio ambiente - Matéria Senepol SAN na Revista Senepol

Senepol, uma aliada do meio ambiente – Matéria Senepol SAN na Revista Senepol

 

Dois projetos com a raça mostram que é possível combinar pecuária

e cuidar da natureza

André Casagrande

Referências em sustentabilidade econômica, social e ambiental, a Fazenda

Palmito (Senepol Constelação) e a Fazenda San Francisco (Senepol San)

cuidam do bem-estar animal e realizam várias iniciativas voltadas para a

preservação da natureza, envolvendo a equipe de colaboradores e em parceria

com empresas e universidades.

O Senepol levou toda a família de Rubia Pereira Barra para a fazenda e, por

trabalharem juntos, cada um com sua habilidade, nasceu o Projeto 5 Estrelas

Constelação: Convivendo Bem-estar e Conseguindo Sustentabilidade,

Comprovando Desempenho, Conquistando Melhoramento Genético e

Contratando Cuidado.

“Temos como missão oferecer excelência ao produzir bovinos da raça Senepol

prezando pelo bem-estar animal e pela sustentabilidade. Para isso trabalhamos

arduamente na criação, na seleção, no melhoramento e na comercialização de

animais de alto valor genético. Somos uma família incansável na promoção do

desenvolvimento regional, por meio de uma pecuária moderna e sustentável, e

que encontrou no Senepol o pilar para atingir essa realidade”, afirma Rúbia que

é a gestora dos programas Convivendo Bem-Estar e Conseguindo

Sustentabilidade da Fazenda Palmito, proprietária da grife Senepol Constelação.

A criadora acredita que sustentabilidade na pecuária inclui o bem-estar animal e

é responsabilidade de todos. “É nosso desejo que a influência ecológica de

nossa fazenda não termine nos limites de nossa propriedade e sim que seja

exemplo para outros criadores de Senepol.”

Rubia conta que está em busca de outros criadores comprometidos com o bem-

estar animal e com a sustentabilidade, que acreditem e que tenham disposição

para seguir juntos. “A fazenda está de porteiras abertas para quem desejar

conhecer de perto o nosso trabalho”, convida.

A Fazenda Palmito está localizada no município goiano de Paranaiguara e

dedica-se a criação de gado de corte desde 1957 quando os sogros de Rubia

(Saturnino Paranaíba Bernardes e Josefa Guedes Bernardes) adquiriram a

propriedade.

Durante todo este tempo buscou-se melhorar a qualidade do rebanho,

inicialmente de gado Gir e, no início da década de 1970, foi introduzido o gado

Nelore, sempre utilizando as melhores ferramentas tecnológicas disponíveis em

cada época. A partir do final de 1985, Dona Josefa e os filhos assumiram a

fazenda.

“O encontro com a raça Senepol, que apresenta rusticidade, precocidade e

adaptabilidade necessárias à difícil tarefa de cobrir a campo e em condições

adversas, aconteceu em 2008, quando compramos o primeiro touro para o

cruzamento industrial”, conta.

Segundo a criadora, comprovados os resultados dos produtos com sangue

Senepol, em 2009 nasceu o projeto Senepol Constelação, com o objetivo de ser

referência na criação a pasto de animais puros, visando à excelência na

produção de machos e fêmeas melhoradores.

“Gosto de dizer que o Senepol me levou para o curral e, com certeza, a

docilidade da raça foi fundamental para isso”, enfatiza a criadora que considera

a docilidade uma característica da raça muito importante, que traz muitos

benefícios para a fazenda, inclusive com resultado financeiro positivo. “Quando

os animais são mais dóceis, facilita as rotinas diárias de manejo, não há correria

e nem gritos, o vaqueiro não precisa ficar nervoso. Esta facilidade no manejo

beneficia tanto o animal, que sofre menos risco de ter agressões por não ser

muito reativo, quanto o trabalhador, no dia a dia, evitando que ele se

machuque e termine o dia muito cansado”, observa.

“Tudo isto traz harmonia para o ambiente”, diz a criadora que acredita que é

possível atrelar imagem da raça Senepol ao conceito ecologicamente correto,

desde que se adotem práticas e atitudes que minimizem as agressões ao meio

ambiente em atividades econômicas no dia a dia.

“Se trabalharmos para que mais criadores adotem as boas práticas poderemos

ligar o Senepol a este conceito em que todos ganhariam, os animais, os

criadores, o meio ambiente, enfim estaríamos deixando um planeta melhor para

nossos filhos e netos”, enfatiza.

Cuidados com a flora e a fauna

Em parceria com a Companhia Energética de Minas Gerais S.A. (Cemig), a

Fazenda Palmito está recuperando as áreas de preservação permanente às

margens do lago de São Simão e as nascentes. “Todas estas áreas estão sendo

cercadas e onde há necessidade estamos plantando árvores de espécies

próprias para a região. Já foi possível observar emas chocando nessas áreas”,

diz.

De acordo com Rubia, com o Senepol começaram as discussões sobre o bem-

estar animal na propriedade, trazendo a necessidade de sombra nos piquetes.

“Estamos planejando o plantio de árvores para o sombreamento, escolhendo as

melhores espécies, tudo isso com certeza, vai beneficiar a flora e a fauna da

região”, conta.

“De tudo que estamos implantando na fazenda, o bem-estar animal e as boas

práticas são o que mais me encantam e, por questões éticas e morais,

intuitivamente já realizávamos algumas ações. Temos o privilégio de lidar com

animais da raça Senepol, que são extremamente dóceis, precisamos retribuir

adotando as boas práticas.”

Rubia relata que, motivada pela necessidade de buscar evidências científicas

sobre o assunto, ele procurou o professor Mateus Paranhos, da Universidade

Estadual Paulista da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho,

campus de Jaboticabal, SP, idealizador do Grupo ETCO, que indicou a

consultora Lívia Carolina Magalhães Silva, da BEA Consultoria e Treinamentos,

que muito tem ajudado no manejo dos animais. “Esta parceria nos trouxe as

evidências científicas que procurávamos, as técnicas corretas para os cuidados

com os bezerros, o manejo e a desmama racional e a constatação dos ganhos

econômicos comprovados quando adotamos essa prática”, comemora.

Para a capacitação própria e dos colaboradores, em julho deste ano foi

realizado na fazenda o Curso Manejo Racional de Bovinos, por meio de

convênio entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

(Mapa), a BEA Consultoria, Fundação de Apoio a Pesquisa, Ensino e Extensão

(Funep), a Unesp e o Grupo ETCO, ministrado pelo consultor da BEA Adriano

Gomes Pascoa.

“A mudança foi visível, diminuiu a correria, não se escuta mais gritos, além de

aumentar a segurança dos vaqueiros, reduzindo danos materiais, preservando

as benfeitorias do curral”, atesta.

Em novembro, Pascoa voltou à fazenda para acompanhar a vacinação, pois foi

a primeira vacinação considerando todos os passos do Manual de Boas Práticas

Vacinação, do Mapa e do Grupo ETCO.

Gestão de qualidade

Rubia aplica na fazenda a gestão da qualidade. “Todos os nossos processos

foram transformados em Procedimentos Operacionais Padrão (POP) e

Fluxogramas; investimos na capacitação de nossos colaboradores, discutindo e

validando com eles todos os POPs e Fluxos adotados; organizamos a farmácia

de forma a ter controle de estoque, vigilância de medicamentos vencidos e o

uso de agulhas e seringas descartáveis”, enumera algumas mudanças.

Também está realizando a substituição gradual dos bebedouros de cimento por

bebedouros de pneus recicláveis (Rubber Tank), que contribuem com a

preservação do meio ambiente uma vez que pneus ORT seriam queimados em

fornos industriais gerando muita poluição. “São duradouros, mantêm a água

mais fresca e não machucam os animais”, explica.

A coleta seletiva de resíduos sólidos iniciou com a capacitação de todos os

moradores da fazenda, quando foi destacada a importância desta ação para

cada um e para o planeta. “Na ocasião, foi apresentada a forma correta de

separação dos resíduos e oferecido para cada família um kit de lixeiras para a

separação e a criação de um ponto de coleta central (Eco Ponto), onde

semanalmente são depositados os resíduos separados.”

Em parceria com a Universidade Federal de Uberlândia, MG, a propriedade está

realizando o monitoramento constante das condições dos pastos, por meio de

metas de pastejo, em lotação rotativa, utilizando forragens de qualidade,

evitando a degradação dos mesmos. “Esta iniciativa, associada ao programa de

melhoramento genético, promove o encurtamento do ciclo até ao abate,

diminuindo a emissão de carbono da atividade da pecuária”, destaca.

Como responsabilidade social, a Fazenda Palmito está ajudando na construção

da sede do Projeto Meninada, instituição que vai trabalhar com crianças e

adolescentes em um bairro periférico de Uberlândia.

Referência em preservação

A Fazenda San Francisco, localizada em Miranda, no pantanal do Mato Grosso

do Sul, é referência em integração de atividades econômicas e preservação da

natureza. A propriedade possui uma área total de 9 mil hectares destinada às

seguintes atividades econômicas principais: cultivo de arroz irrigado, pecuária

de genética com bovino Senepol, criação de bezerros de cruzamento industrial,

cavalo Crioulo e o agro-ecoturismo.

Carolina Prudencio Coelho (Carol Coelho), administradora da propriedade,

afirma que é possível ligar a imagem da raça Senepol ao conceito

ecologicamente correto, por meio de iniciativas e hábitos que ajudem na

conservação da natureza. “Além de ações como a proibição e a fiscalização de

caça dentro da fazenda, principalmente quando se trata de predadores como a

onça-pintada, há diversas estratégias que podem ser utilizadas para diminuir a

predação.”

Para se ter uma imagem positiva, ligada ao conceito ecologicamente correto,

ela afirma que são necessárias mudanças efetivas no dia a dia da fazenda. “A

San Francisco é organizada para evitar a erosão e o assoreamento, com a

manutenção da qualidade das pastagens e a preservação das reservas florestais

previstas na legislação”, exemplifica. Carol acrescenta que a destinação correta

do lixo e a conscientização ambiental dos colaboradores e seus familiares

também são outros pontos de suma importância, assim como a preservação

das matas ciliares dos rios, dos riachos e principalmente dos mananciais de

água.

Bem-estar animal

Carol conta que a fazenda adotou as boas práticas de bem-estar animal em

todo o rebanho e vem aprimorando seus processos diários na lida com os

animais. “O gado é conduzido com bandeiras, sem gritaria, sem cutucões, e

permanece o menor tempo possível dentro do curral. Assim que é feito o

manejo, preferencialmente, vai para um piquete próximo ao curral até que o

serviço termine e o lote todo é solto na invernada de origem”, detalha.

“Realizamos a desmama lado a lado, que tem mostrado resultados fantásticos.

Temos duas invernadas especialmente para desmama, que dura nove dias, e é

feito em três etapas”, conta. Na primeira etapa, as mães e os bezerros ficam na

invernada desmama por três dias, para adaptação. Na segunda fase, as mães

são retiradas e colocadas na invernada da frente, dividida com cerca de arame

de oito fios, para evitar que os bezerros passem para o lado das mães. “A

pilheta fica entre as duas invernadas, de forma que os bezerros observam as

mães tomando água e aprendem o caminho.”

Na última etapa, as vacas são retiradas e os bezerros ainda permanecem por

mais três dias na invernada. Nestes nove dias, os bezerros recebem ração

especial de desmama. O tratador reúne os bezerros no cocho e coloca a ração,

assim eles se acostumam com a presença do vaqueiro, o que facilita todos os

manejos futuros, resultado em um gado mais manso em toda a fazenda.

“Realizamos palestras e treinamentos frequentes e selecionamos os vaqueiros

pela sua habilidade de manejo sem violência com o gado e como cavalo.

Vaqueiro agressivo é dispensado do serviço, só ficam os melhores”, enfatiza

Carol.

A Fazenda San Francisco cria cavalo Crioulo e realiza atividades esportivas de

laço comprido com esta raça. Para isso, foi criada a Cartilha de Bem Estar

Animal da Pista de Laço, para evitar os maus tratos com os animais. “Buscamos

irradiar as boas práticas, levando os conceitos para as fazendas vizinhas e

disseminando-os para toda a região. Como os resultados de produção são

melhores com a adoção do bom manejo do gado, conseguimos incentivar

outras fazendas da região a adotarem também.”

Compromisso com a conservação

Desde o início das atividades, existe a preocupação e compromisso com a

conservação. “A fazenda apoia e investe em projetos de pesquisas científicas da

fauna e da flora, com o objetivo de melhorar a integração e promover a

longevidade das atividades de agricultura, pecuária e agro-ecoturismo”, explica

Carol Coelho. Neste aspecto, vários projetos de pesquisa da flora e fauna foram

realizados, como Ecologia da Jaguatirica (Leopardus pardalis) e Estudo de

densidade e viabilidade econômica da palmeira Carandá (Copernicia alba).

Há alguns anos a Fazenda San Francisco recebeu o título de Criador

Conservacionista, Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS),

apoiando a reabilitação e a reintrodução de animais silvestres que foram

resgatados do comércio ilegal.

Além destes, existem programas de monitoramento em longo prazo, como o

Projeto Arara Azul e o Projeto Papagaio Verdadeiro que são realizados desde

1996 e 2001, respectivamente.

Também foi realizada uma pesquisa para o levantamento da avifauna, com o

intuito de descobrir quais espécies habitam e visitam a fazenda e quais são as

relações destas espécies com os recursos alimentares disponíveis na

propriedade. Foram levantadas 370 espécies diferentes de aves.

A Fazenda apoiou o Projeto Herpetofauna, conduzido por pesquisadores da

Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) que fizeram o

levantamento das espécies desta classe de animais e realizaram estudos, sendo

dois e nível de mestrado e um de doutorado, ajudando na conservação do

Pantanal.

O Programa de Estudo do Meio, outra iniciativa pioneira em educação

ambiental, é realizado com crianças de escolas brasileiras. Os materiais

utilizados para as aulas foram elaborados por uma equipe multidisciplinar de

biólogos e turismólogos da própria fazenda.

“Vale ressaltar que todas estas pesquisas são e/ou foram objeto de teses de

especialização, mestrado ou doutorado e as publicações desses estudos estão

fornecendo importantes informações sobre biologia e ecologia das espécies

citadas que poderão servir como estratégias para futuros planos de manejo e

conservação, em especial dos animais mais ameaçados”, enfatiza Carol.

Além das pesquisas da fauna e flora, a San Francisco tem um Programa de

Educação Ambiental, através de palestras sobre o Pantanal, ministradas pelos

próprios pesquisadores para os visitantes, como o Projeto Gadonça e o Projeto

Papagaio Verdadeiro

Desde 2003, a Fazenda San Francisco é a sede do Projeto Gadonça, que estuda

a predação do gado por Onça-pintada (Pantera onca) e Onça-parda (Puma

concolor). “Deste estudo saíram várias recomendações de manejo para evitar a

predação”, afirma Carol.

A fazenda recebe anualmente mais de 15 mil visitantes oriundos dos diversos

estados brasileiros e países. “Os guias são qualificados para fazer um trabalho

de conscientização ambiental e de valorização da fauna, flora e da cultura do

pantaneiro”, garante Carol.

Os visitantes assistem à Palestra Gadonça, ministrada pelo biólogo Henrique

Villas Boas Concone, que destaca a importância da conservação e das

estratégias para minimizar a predação e possibilitar uma convivência harmônica

entre o homem e a natureza. “Todos os visitantes passam pelas áreas de

pecuária da fazenda e conhecem o gado Senepol, inclusive muitos viraram

compradores de touros”, relata.

DESTAQUES:

“É nosso desejo que a influência ecológica de nossa fazenda não termine nos

limites de nossa propriedade e sim que seja exemplo para outros criadores de

Senepol.”

Rubia Pereira Barra, Senepol Constelação

“Selecionamos os vaqueiros pela sua habilidade de manejo sem violência com o

gado e como cavalo. Vaqueiro agressivo é dispensado do serviço, só ficam os

melhores.”

Carol Coelho, Senepol San

sucessão familiar no senepol

SENEPOL SAN NA SUCESSÃO FAMILIAR

Perguntas feitas pelo Jornalista André Casagrande da Revista Senepol para Carolina Coelho em matéria sobre Sucessão Familiar no Senepol

– Você pretende dar continuidade ao projeto da família?

Sim, o Senepol já faz parte da familia ha mais de 13 anos e o projeto veio para ficar!

– Já possui animais próprios?

Não, o criatório é da familia e da empresa então administramos todos em um so patrimonio.

– Quais os seus projetos futuros com relação Senepol?

Dar continuidade à seleção genética do rebanho, sempre em busca de animais mais produtivos e avaliados, mantendo assim uma produção consistente de touros e doadoras de qualidade para ofertar ao mercado, sempre buscando o melhoramento genético. Também fomentar e contribuir para a evolução da avaliação e melhoria do Senepol.

Paralelo ao rebanho puro, iniciamos um projeto de cruzamento industrial no qual utilizamos nossos touros cobrindo a campo nossas matrizes nelores buscando produzir carne e mostrar o potencial da raça.

Nossos animais são recriados a pasto, do qual não abrimos mão, pois acreditamos que este é o grande propósito do Senepol, ser um animal rustico e produtivo nas condições reais da pecuária brasileira.

– Em sua opinião, qual o potencial da raça?
O grande potencial da raça é melhorar a qualidade da pecuaria brasileira através do cruzamento industrial entre nelore e senepol. A heterose gerada no choque de sangue das duas raças culmina em um produto que agrega as melhores caracteristas de ambas gerando um animal que nasce pequeno e que possui um rapido desenvolvimento, pegando a rusticidade do zebuino com a precocidade do taurido adaptado. Propicia encurtar o ciclo da fazenda de 8 a 10 meses melhorando assim a rentabilidade da fazenda.

– Fique à vontade para acrescentar o que considerar necessário.

Um pouco sobre o nosso criatorio: está localizado no Pantanal Sul, ambiente rústico, quente e de extremos, com pico de seca e de enchente todos os anos onde a raça se prova diariamente demonstrando sua adaptação. Prioriza o melhoramento genético do rebanho trabalhando na identificação de animais com alto valor genético e econômico.

Somos uma empresa familiar, há um ano e meio meu pai, Roberto Coelho, resolveu iniciar o processo de sucessão familiar e nos convidou, eu e à minha irmã Andréa Lucia Coelho, para trabalhar com ele na pecuária. Eu sou turismóloga e administrei o hotel-fazenda que temo na fazenda por 12 anos, com experiencia em marketing, planejamento, gestão de equipe e processos. A Andrea formada em Administração já com especialização em Gestão e muito empenhada em aprender e administrar a fazenda.

Começamos realizando o estudo financeiro do negócio, depois passamos para o manejo da fazenda, passando por um processo de adaptação dos nossos funcionários, que receberam-nos com muita vontade de ajudar. Além de estarmos aprendendo sobre o negócio somos mulheres em um ambiente totalmente masculino…

Outra fase foi de conhecer o negócio Senepol, estudamos bastante a raça, procuramos conhecer as pessoas, antigos criadores, visitamos fazendas, conhecemos exemplos de sucesso para ajudar-nos a delinear nossas estratégias.

Além disso investimos nosso tempo em cursos de pós-graduação, palestras, encontros técnicos da área afim de melhorar nosso conhecimento para gerenciar melhor o negócio pecuária além de fazer relacionamento. Já fizemos um curso do Agrotalento e agora estamos fazendo pós-graduação em gestão de Gado de Corte pela Reahgro, um excelente curso com muita qualidade de docentes e práticas que ajudam a melhorar o manejo e a administração da fazenda. Então além de podermos contar com a orientação e condução do trabalho feito pelo meu pai Roberto Coelho, estamos buscando o que tem de mais moderno e eficiente para produzir carne e realizar uma pecuária lucrativa. Estamos aproveitando o fato de “estarmos em pé sobre ombros de gigantes”.

Apos esta fase inicial começamos a melhorar alguns processos principalmente relacionados à produtividade e ao bem estar dos animais. Hoje as mudanças ainda estão acontecendo mas as novas ideias e projetos são muito bem aceitas. Temos uma ótima relação e comunicação com a equipe de trabalho que facilita bastante a execução do planejado e a implantação de mudanças.

A Familia SAN adota e aplica os princípios do Bem-Estar Animal em todo o seu rebanho. Acredita que um manejo cuidadoso e bem feito com os animais pode trazer benefícios para toda a cadeia produtiva da carne.

Para finalizar, envio fotos da minha irma Andréa e dos meus filhos pois acredito muito que devemos apresentar para na nova geração as coisas boas da fazenda, levar eles para andar a cavalo, tomar banho de rio ou de enchente de pantanal, sair para ver o gado, a natureza, o trabalho do homem pantaneiro. Mostrar para as crianças o valor da terra, do trabalho nela, faze-los se apaixonarem para que tudo que construírmos tenha continuidade. Criar sucessores e não herdeiros. Já viemos de uma familia tradicional da pecuária. Descendente de Laucidio Coelho vamos fazendo história até hoje na pecuária brasileira.

E gostaria de aproveitar para agradecer meu avô Helio Coelho (in memorian) por ter me ensinado o legado do trabalho, da honestidade, seriedade e da importância do marketing!

E viva o Senepol!!!

Leilão Senepol San e Convidados 2016

Dia 10/04/2016 – Domingo – Dia de Campo na Fazenda San Francisco

Programação:

9h00 – Inicio das atividades com palestras  sobre:

Tema 1 – A importância do melhoramento genético do Senepol na pecuária brasileira  com Gilberto Menezes – Pesquisador  – Melhoramento Genético Animal – Embrapa Gado de Corte

Tema 2 – Manejo Nutricional para touros e matrizes de genética – Rodrigo da Costa Gomes – Zootecnista – Pesquisador de Nutrição Animal – Embrapa Gado de Corte

Tema 3 – O impacto econômico positivo na implantação das boas práticas do bem-estar animal e manejo estratégico sanitário da fazenda com o especialista Marcel Kenzo Vilalba Onizuka da Ouro-Fino.Almoço com Churrasco Pantaneiro.

A tarde, Saída a campo para conhecer o rebanho Senepol SAN, ver os bezerros resultantes das transferências de embrião, ver o resultado do cruzamento entre Senepol e Nelore, visitar os touros da PADS e a criação de Cavalos Crioulos. Ao final um passeio pelo Pantanal na Chalana.

Leilão Senepol San e Convidados 2016

Leilão Senepol San e Convidados 2016

Você é nosso convidado, favor confirme sua presença antecipadamente. Obs. Teremos transporte à disposição dos convidados partindo de Campo Grande – peço confirmação antecipada via email no carol@fazendasanfrancisco.tur.br  para confirmar a saída deste transporte.

Noticia Portal DBO: Senepol tem programação especial na Expogrande Semana Sou Senepol acontece entre os dias 10 e 14 de abril

Noticia Portal DBO: Senepol tem programação especial na Expogrande

Semana Sou Senepol acontece entre os dias 10 e 14 de abril

Uma das raças que mais cresceram nos últimos anos, o Senepol terá lugar de destaque durante a 78ª Expogrande, que acontece entre os dias 7 e 17 de abril, no Parque de Exposições da Acrissul, em Campo Grande, MS.

A Semana Sou Senepol acontece entre 10 e 14 de abril e traz em sua programação quatro leilões, palestras, cursos, encontro de mulheres, divulgação dos resultados da 5ª Prova de Avaliação de Desempenho (PADS) e assembleia geral da Associação Brasileira de Criadores de Bovinos Senepol (ABCB Senepol).

As atividades terão início no dia 10 de abril, domingo, com um dia de campo na Fazenda San Francisco e se encerram na quinta-feira, 14, com o Leilão Reprodutores Senepol, no tatersal II da Acrissul.

Confira a agenda completa da Semana Sou Senepol Programação Semana Sou Senepol Expogrande 2016.

Fonte: Assessoria – http://www.portaldbo.com.br/Portal/Racas/Senepol-tem-programacao-especial-na-Expogrande/15510